Conquista dourada

Escrito por
Publicado em: 17/06/2015
cle_gsw_jogo6_capa

Responda rápido: qual a cor que representa o título do Golden State Warriors após uma longa espera de 39 anos? Dourado, é claro! Os Warriors conquistaram seu 4º troféu da NBA – o 1º desde a temporada 1974/1975 – com a vitória por 105X97 sobre o Cleveland Cavaliers no jogo 6 disputado na noite da última 3ª feira (dia 16/06). Eles se juntaram aos Celtics, Lakers, Bulls e aos Spurs, como as únicas franquias na história da liga a ter pelo menos 4 campeonatos.

A conquista do Golden State pode ser explicada ao enumerar os pilares ou protagonistas que construíram este triunfo ao longo da temporada 2014/2015. Então não perca tempo e confira abaixo os fatos mais marcantes que o blog do Draft Brasil listou sobre os novos coroados da NBA.

Ao todo, os Warriors venceram 83 partidas nesta temporada, se tornando a 3ª equipe na história da NBA a vencer pelo menos 83 jogos, contando temporada regular e playoffs, se juntando ao Chicago Bulls de 1995/1996 e 1996/1997. Coincidentemente, o atual técnico Steve Kerr fazia parte destes 2 elencos dos Bulls e foi o responsável pelo arremesso decisivo no final do jogo 6 das finais de 1997 contra o Utah Jazz. Kerr é o 4º treinador a vencer um título da NBA depois de ter ganhado, no mínimo, 5 taças como jogador (os outros 3 são os lendários integrantes do Boston Celtics, Bill Russell, Tom Heinsohn e K.C. Jones) e também o único desses a conquistar o título em sua 1ª temporada como comandante.

cle_gsw_s_kerr

Depois de ter vencido campeonatos da NBA ao lado de Michael Jordan e Tim Duncan, Steve Kerr conquistou seu 1º título como treinador.

Kerr também foi o autor do ponto de virada na decisão a favor da equipe de Oakland, quando sacou o pivô Andrew Bogut dos titulares e colocou o ala/armador Andre Iguodala em seu lugar. Os Warriors jogaram com uma formação mais baixa por praticamente todos os jogos 4, 5 e 6, levando o Golden State a marcar 60 pontos as mais que os Cavs com este tipo de estratégia na série – em compensação, eles sofreram 17 pontos a mais quando usaram uma organização mais alta. Esta mudança trouxe um ônus e um bônus para Iguodala: a desvantagem era defender o astro LeBron James e o crédito foi ganhar uma recompensa por isto.  Se vocês pensaram que Kawhi Leonard foi um improvável MVP nas finais do ano passado, é porque o vencedor deste ano foi ainda mais surpreendente. Em sua 11ª temporada na liga, Iguodala garantiu a honraria ao anotar 25 pontos no jogo 6, sua maior pontuação em uma partida desde outubro/2013. Ele produziu médias de 7,8 pontos e 3,3 rebotes por jogo na temporada apesar de não entrar como titular sequer uma vez. Mas na decisão ele estabeleceu médias de 16,3 pontos e 5,8 rebotes, a mais baixa média de pontos por um MVP das finais desde Magic Johnson em 1982, e a 3ª menos de todos os tempos (Wes Unseld registrou 9,0 pontos/partida pelo Washington Bullets em 1969). ‘Iggy’ se tornou o 1º detentor do prêmio de melhor jogador das finais que não começou nenhuma partida como titular na temporada regular.

Se você acharam que esquecemos de citar Stephen Curry, enganaram-se. A jovem estrela de 27 anos de idade dos Warriors terminou a pós-temporada com 98 cestas da linha de 3 pontos. Este total deixou para trás o antigo recorde da NBA de 58 acertos de Reggie Miller nos playoffs. Seus 25 arremessos de 3 pontos convertidos nesta série ficaram a 2 de igualar o recorde das finais da NBA, estabelecido pelo armador Danny Green do San Antonio Spurs em 2013. Curry se tornou o 3º armador a vencer o prêmio de MVP e o título da NBA na mesma temporada, se juntando aos grandes Bob Cousy e Magic Johnson. O triunfo do Golden State mantém uma escrita: nenhuma equipe do MVP da temporada jamais perdeu a decisão após assumir a liderança de 3X2 na série (estas equipes tem o retrospecto de 14-0).

O decisivo jogo 6 também apresentou um herói desconhecido para a maioria dos torcedores. O ala Draymond Green foi um grande colaborador no trajeto para a glória dos Warriors. Ele registrou 16 pontos, 11 rebotes e 10 assistências no jogo 6, seu 2º ‘triple-double’ na carreira, se tornando o 6º jogador a produzir um ‘triple-double’ pelo lado vitorioso na decisiva partida das finais, se juntando a Magic Johnson (em 1982 e 1985), Larry Bird (em 1986), James Worthy (em 1988), Tim Duncan (em 2003) e LeBron James (em 2012) – Magic foi o único destes antes de Green a produzir esta façanha em solo adversário, no jogo 6 das finais de 1985 contra os Celtics. Ao longo dos playoffs de 2015, Green estabeleceu 13,7 pontos, 10,1 rebotes e 5,2 assistências por partida. Para se ter uma idéia, Tim Duncan é o único outro jogador nos últimos 30 anos que ganhou um título na NBA, tendo estabelecido médias como estas na pós-temporada. O ala/pivô do San Antonio Spurs registrou 24,7 pontos, 15,4 rebotes e 5,3 assistências nos playoffs de 2003.

Pela 4ª vez em sua carreira, o astro do Cleveland Cavaliers, LeBron James, foi vice-campeão da NBA. James teve uma das performances mais incríveis das finais, se bobear, entre as melhores já vistas por um jogador que saiu derrotado. No jogo 6, ele se tornou o 6º jogador na história da NBA a anotar 5.000 pontos na carreira em playoffs, ao lado de Michael Jordan, Kareem Abdul-Jabbar, Kobe Bryant, Shaquille O’Neal e Tim Duncan. Assim, os Warriors fizeram ele trabalhar por todos os cantos da quadra. James fez de tudo pelo Cleveland, liderando a equipe com 32 pontos, 18 rebotes e 9 assistências – algo que ele também fez pelos Cavs nestas 3 categorias nos jogos 2 e 5 – transformando-se no 2º jogador a liderar seu time (ou ficar empatado na liderança) em pontos, rebotes e assistências por pelo menos 3 ocasiões em uma série das finais. O outro a produzir este feito? Tim Duncan, que registrou 3 partidas deste tipo nas finais de 2003 contra o New Jersey Nets.

E por último, e não menos importante, o Brasil tem mais um representante na lista dos vencedores da NBA. Em sua 12ª temporada, o armador Leandrinho Barbosa finalmente vai ter um anel de campeão da NBA na sua coleção, igualando o feito de Tiago Splitter no ano passado pelo San Antonio Spurs. Nas finais, ele anotou pouco mais de 6,0 pontos por partida em quase 11 minutos de tempo em quadra por jogo, ajudando o Golden State a quebrar o maior jejum por 1 título na história da liga. É o Brasil sendo eternizado pelo 2º ano consecutivo no rol do campeões da NBA.

cle_gsw_l_barbosa

Pelo 2ª temporada seguida, o Brasil tem um represante no lugar mais alto no pódio da NBA. Desta vez, foi o armador Leandrinho do Golden State.

Fatal error: Uncaught Exception: 190: Error validating application. Application has been deleted. (190) thrown in /var/www/draftbrasil.net/blog/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1273